10
Apr 2018

Como seus filhos podem revolucionar o futuro da água

Duas coisas estão muito certas para a gente: 1) o que fazemos hoje impactará no futuro das próximas gerações, e 2) as crianças têm um papel muito importante nisso. Afinal, é educando os pequenos que vivem agora que temos a esperança de uma consciência maior sobre o meio ambiente depois. E, neste meio ambiente, a preocupação com a água é cada vez maior.

Por isso, é hora de ensinar e incentivar seus filhos, sobrinhos e netos, a economizarem água desde já e tornarem isso um hábito através de ações simples, mas significativas. Comece discutindo a importância da água e seu racionamento para nossa sobrevivência, na linguagem deles; afinal, se a sociedade já discute essa questão há tempos, a informação não chega como deveria até as crianças, que precisam entender isso melhor, de acordo com suas capacidades.

Leve o tema para casa e para a escola. Ao tirar dúvidas, tenha sempre em mente e em mãos uma fonte confiável, como o Instituto Akatu – uma organização não governamental sem fins lucrativos, que trabalha pela conscientização e mobilização da sociedade para o consumo consciente. Pergunte aos pequenos o que eles já conhecem do tema, se já assistiram a algo na televisão, e pergunte o que eles acham a respeito e se já conhecem ações para economizar água. 

Depois, envolva as crianças em tarefas domésticas que se tornem uma rotina sustentável. Exemplos simples são tomar banhos mais rápidos, deixar a louça de molho antes de lavá-la e armazenar água da chuva para uso posterior. Outras atitudes bacanas podem ser reforçadas pela escola, como não abrir totalmente a torneira para lavar as mãos – e só usar água suficiente para lavá-las – e dar descarga forte o suficiente só para eliminar os resíduos.

Com a ajuda dos pequenos, você também pode chegar a outras soluções criativas para poupar água. É se divertindo e sendo um cidadão exemplar do mundo que a sustentabilidade se torna, pouco a pouco, latente no dia a dia de crianças, que se tornarão adultos capazes de transformar para melhor a sociedade.



Fonte: Instituto MRV
Compartilhe