Gaia+ Educação transformadora para um país mais sustentável

A transformação mais sustentável que existe é a mudança na forma da criança perceber a si mesma e o mundo ao seu redor. Essa mudança interna e profunda é o presente mais valioso que podemos oferecer, auxiliando-a no próprio desenvolvimento do autoconhecimento, da resiliência emocional, do autocontrole, da consciência social e da empatia. Essas habilidades permitem uma vida mais plena, e empoderam as crianças a serem agentes de transformação na construção de um futuro melhor. Elas mudam a si mesmas e transformam a comunidade onde estão inseridas. Para ensinar essas habilidades utilizamos o Método Friends, criado há mais de 30 anos e indicado pela Organização Mundial da Saúde como o melhor programa de habilidades socioemocionais. Essa metodologia é utilizada em 27 países e mais de 1 milhão de crianças participaram. Incentivamos a curiosidade e a proatividade e trabalhamos hábitos de vida saudável para fomentar uma sociedade consciente e comprometida com um planeta sustentável.

O Projeto

A educação é apontada com um dos maiores problemas do Brasil. Pesquisas indicam que esses problemas envolvem desde a qualidade do ensino, à baixa remuneração de professores e falta de recursos. Isso leva à várias consequências, como ansiedade, transtornos depressivos e problemas de comportamento. Sem contar que a maioria dos estudantes brasileiros têm dificuldades em habilidades sociais, como empatia e resolução de conflitos. 

É aí que a gente pergunta: isso tem solução? O Gaia+ Educação garante que sim. Ou, pelo menos, que essas estatísticas podem melhorar bastante.

Criado em outubro de 2014 pelo Grupo Gaia+, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), visa aprimorar as habilidades socioemocionais e valorizar o momento presente de crianças da rede pública de Piracicaba (SP), com idades entre 8 e 11 anos. A ideia é possibilitar que elas atinjam o máximo de suas potencialidades por meio da educação e da integração entre corpo e mente, para construírem um mundo melhor. Neste quarto ano de projeto, já são mais de 7 mil crianças – ou melhor, de "gaianinhos", como elas são chamadas – beneficiadas diretamente.  

Por meio de coleta de feedback das atividades, da percepção dos responsáveis pela capacitação e dos projetos executados pelas organizações, os indicadores sugerem mais um ano de sucesso. São resultados transformadores, envolvendo melhora no desempenho escolar, redução de conflitos e o despertar de valores como empatia e gratidão.

O Instituo MRV é um feliz apoiador do Gaia+ Educação, por meio do Educar para Transformar. Como mais uma forma de contribuir para a missão do projeto, em 2018 os "gaianinhos" foram levados para participarem do Método FRIENDS, indicado pela Organização Mundial da Saúde como o melhor programa de habilidades socioemocionais, que já beneficiou mais de 1 milhão de crianças. Pesquisas realizadas em 13 países com mais de 16 mil pessoas mostram que ele é efetivo para prevenir ansiedade, melhorar a autoestima e autoconfiança. Dentro do método, foi introduzido o programa Amigos divertidos, da dra. Paula Barrett, que o iniciou na Austrália, consistindo em uma série de livros para desenhar e compartilhar com a família e amigos. Além disso tudo, o transporte e a alimentação foram garantidos (lembrando que muitas crianças em situação de pobreza maior sequer têm acesso a todas as refeições diárias em seus lares).

Falando em lares,  o conceito do Gaia+ vem sendo aproximado cada vez mais das famílias dos pequenos alunos, para que elas conheçam ainda mais de perto o trabalho feito por lá, compartilhem e adotem os valores pregados e incentivem um convívio familiar mais harmonioso, possibilitando melhores oportunidades para as crianças. Foram e estão sendo criados questionários com foco nessas famílias, nos professores e nos assistentes sociais, para entender em quais pontos o projeto pode melhorar. O objetivo é conscientizar os responsáveis pelos "gaianinhos" sobre a importância deles se envolverem nas atividades propostas. Isso requer diferentes métodos de envolvimento, de forma que responsáveis de diferentes perfis possam ter a possibilidade de participar.

E para auxiliar a impulsionar os resultados, construímos o que chamamos de Teoria da Mudança para avaliar o impacto do Gaia+ de longo prazo e o que fazer a seguir, através de uma dinâmica e atividades nas quais há uma reflexão sobre quais transformações elas podem gerar. Já como resultados de curto e médio prazo causados pelas intervenções realizadas na comunidade, temos como exemplo promover um maior alinhamento entre o projeto e a necessidade dos beneficiários, o empoderamento dos gestores e uma ampliação de sua visão para achar oportunidades e inovar. Também foi usada a Matriz FOFA para analisar o Gaia+ e entender quais são as suas FORÇAS, FRAQUEZAS, OPORTUNIDADES e AMEAÇAS, a fim de promover uma autoanálise sobre toda a situação, que será replanejada ao longo dos meses.

Se, em todo este tempo, o Gaia+ Educação já tocou tantas vidas e consegue, cada vez mais, melhorar o seu roteiro de atividades, o céu é o limite daqui para frente. O que mais está por vir? 

Galeria
Compartilhe