28
Nov 2018

Como ajudar os filhos a serem saudáveis mentalmente

Todos nós, seres humanos, temos desejos e necessidades que nos guiam para a sobrevivência, principalmente as necessidades. Elas envolvem, entre vários pontos, comer, dormir e se aliviar fisiologicamente. Porém, além dessas, crianças e adolescentes, justamente por estarem atravessando fases importantes da vida que ajudarão a defini-las como adultas posteriormente, possuem necessidades que estão vinculadas às pessoas com quem convivem diariamente. Ou seja, a família!

Abaixo, listamos algumas dessas atitudes que você, como pai ou mãe, deve ter para que atenda às necessidades emocionais de seus filhos, fazendo com que eles cresçam com a mente saudável:

1) Demonstre carinho

Nosso amor incondicional por nossos filhos deve estar sempre "visível" no dia a dia deles. Não hesite em falar e demonstrar o quanto você os ama, e quão orgulhoso(a) está deles. Isso é fundamental para a autoestima.

2) Ensine-os a regular suas emoções

As crianças precisam que seus pais lhes ensinem a identificar e gerir suas emoções, que melhoram à medida que vivenciam suas experiências. No entanto, se você tem dificuldades em gerir suas próprias emoções, procure ajuda antes de ajudar seus filhos.  

3) Separe um tempo (um bom tempo!) para ficar com eles

Caiu por terra a ideia de que qualidade é mais importante que a quantidade de tempo que pais e filhos passam juntos. É claro que a qualidade importa, mas a quantidade, também! É a relação convivência x dedicação máxima a essa convivência, que será cada vez melhor segundo a quantidade de momentos compartilhados. Invista em brincadeiras, dividir tarefas, acompanhar lição de casa, etc.

4) Ofereça segurança e proteção

Uma criança não pode se sentir segura se nunca foi protegida. Isso não significa a superproteção, que pode ser prejudicial no desenvolvimento, mas sim proteção quando seu filho sentir medo, temor, raiva e tristeza. Com seu respaldo, ele saberá lidar com as emoções ao longo do tempo.  

5) Estabeleça limites claros 

Como toda sociedade que precisa de regras para funcionar, nossas crianças também precisam. Necessárias e saudáveis, elas ensinam para eles até onde podem ir e qual seu perímetro de segurança. Impor limites significa amar e se importar com o crescimento dos pequenos.

6) Respeite, aceite e valorize

Voltemos ao amor condicional: isso significa que nosso amor por nossos filhos não muda independente de como eles são. Aceitar isso e respeitar é valorizá-los! Assim, os avaliamos positivamente, sem depender de resultados na escola, comportamento, obediência irrestrita, etc.

E aí, você pratica essas atitudes no seu dia a dia? Poucas ou todas? Tome agora um tempo para refletir e entender como pode, em detalhes da sua convivência, transformar alguns comportamentos para o bem-estar dos seus filhos seja cada vez melhor. 

 

 
 



Fonte: Instituto MRV
Compartilhe