4
Sep 2019

O segredo do vínculo entre irmãos. Como mantê-lo?

Dentro de uma família, as relações afetivas fazem-se essenciais para a “lapidação” dos traços de personalidade e comportamentos das pessoas. Entre essas relações, destaca-se a entre irmãos, já que a proximidade entre eles favorece a formação de vínculos duradouros cuja base se assenta no respeito e companheirismo. Esses valores, por sua vez, repercutem em basicamente todas as outras interações que eles têm durante sua vida.
Ou seja, a convivência fraterna desperta o fortalecimento da personalidade de uma pessoa, fruto da convivência diária, do compartilhamento de experiências, do apoio emocional recíproco e, claro, do amor.

Como fazer com que essa ligação tão linda sobreviva bem e saudável a obstáculos, rivalidades e outros desafios que surgem desde a infância? É ideal que a família ou educador, saiba como intervir adequadamente em determinadas situações entre as crianças para que elas se tornem adultos mais saudáveis emocionalmente.

Para isso, o importante é promover sempre atitudes que fomentem a confiança, a empatia, o respeito, a harmonia e a estima entre os irmãos. Além de fortalecer o vínculo fraterno, estimulando atividades em conjunto que envolvam desde brincadeiras ao desenvolvimento de tarefas cotidianas, apresentamos mais duas importantes dicas:

1. Seja imparcial nas intervenções. Pessoas têm temperamentos e pontos de vista diferentes. Por isso, evite comparações e/ou competição entre os irmãos, trabalhando sempre com valores em vez de compensação e punição conforme o modo de agir dos filhos.

2. É fundamental que a família mostre ser possível haver discordância e ainda assim existir um ambiente harmônico. Diálogo, aqui, portanto, torna-se imprescindível: estimula a escuta e compreensão de pontos de vista divergentes. 
Isso vale principalmente em momentos de conflitos, em que a autonomia na resolução levará a um amadurecimento entre os irmãos e em uma relação baseada na confiança e na solidariedade.




Fonte: Instituto MRV
Compartilhe