7
May 2019

Uma rede de proteção à rede online

Você lembra da Momo, a boneca assustadora que deixou milhares de pais e cuidadores preocupados com o que suas crianças ficam expostas na internet?

Se é falsa ou não, o importante é que a situação levantou debates bastante convenientes, como o grau de proteção que devemos ter com nossos filhos a respeito de conteúdos na internet, e o seu uso por parte deles.

Liberdade para navegar x limitações. Como deixar os pequenos à vontade em sites indicados para suas idades e, simultaneamente, privá-los de material de teor impróprio? É preciso um equilíbrio, visto que proibição não é, nem de longe, a saída; hoje, boa parte do mundo infantil é norteada e estruturada no uso das telas.

Portanto, atenção a estas 5 dicas:

1. Esteja por perto.
Ou seja, enquanto a criança usa o computador ou tablet, tente se manter no mesmo ambiente, como na sala. Nada de fones de ouvido para ela: é importante que você esteja "ouvindo" o que está sendo veiculado.

2. Combine quanto tempo a criança pode usar a internet durante o dia.

3. Antes de dormir as telas devem ser evitadas, pois podem atrapalhar o sono.

4. Faça refeições em família sem eletrônicos por perto.
Isso é muito relevante! Afinal, é durante as refeições que a família geralmente está reunida, abrindo espaço para conversas e estreitamento das relações.

5. Combine a quantidade de tempo que a criança poderá ficar na internet.
Não atrapalhá-la nas atividades escolares, esportivas ou extracurriculares já é um bom critério.



Fonte: Instituto MRV
Compartilhe